8 dicas para ensinar as crianças a controlar o dinheiro

Muitos adultos acreditam que, se tivessem tido educação financeira infantil, sua relação com o dinheiro seria bem melhor na fase adulta. 

Contudo, apesar de a maioria de nós não ter vivenciado a oportunidade de obter conhecimento sobre finanças quando crianças, podemos mudar o futuro de quem ainda tem muito chão pela frente.

Ensinar crianças a controlar o dinheiro significa dar a elas a oportunidade de ter um futuro muito melhor, longe das dívidas e perto da realização de sonhos. Se você já sabe a importância da educação financeira para crianças, confira 8 dicas de como introduzir o assunto nas vidas dos pequenos!

1. Ensine a diferença entre querer e precisar

Quem se pergunta como ensinar educação financeira infantil precisa saber que existe algo que não deve ficar de fora das lições: a diferença entre querer e precisar.

Os apelos comerciais e a necessidade de se sentir igual ao amigo faz com que crianças não saibam distinguir o que é uma necessidade do que é apenas um desejo.

A educação financeira para crianças deve mostrar a elas que o consumismo desfreado impedirá a realização de seus desejos no futuro. Além disso, as tornarão em adultos frustrados que estão sempre gastando mais do que ganham.

Para evitar que isso ocorra, mostre aos pequenos que sempre quando quiserem algo devem refletir se aquilo realmente fará diferença, se é necessário, ou se trata de um simples desejo.

Importante também que as crianças entendam que não existe nada de errado em sonhar e em querer mais, desde que o gasto tenha sido planejado.

2. Mostre que dinheiro é recompensa

Se as crianças não valorizarem o dinheiro, não saberão como controlá-lo. Muitas acham que dinheiro é algo que vem fácil – afinal, um simples cartão de crédito é capaz de “comprar tudo”.

Os pequenos precisam entender que dinheiro é uma recompensa que vem após um esforço realizado. A fim de que possam ter uma melhor noção do valor do dinheiro, recompense-os sempre que fizerem uma tarefa além daquelas que foram estipuladas.

3. Ensine sobre metas

Ensinar crianças educação financeira não é apenas mostrar a elas que deve haver um equilíbrio entre o querer e o precisar, mas que elas podem – e devem – ter metas para realizar sonhos.

Explique a seus filhos que metas nos ajudam a não nos desviarmos no meio do caminho. Por exemplo, se a meta é comprar um jogo, a criança precisa entender que deverá guardar um dinheiro todo mês a fim de alcançar seu objetivo.

4. Dê mesada

Para uma boa educação financeira infantil você precisará colocar dinheiro nas mãos das crianças. Somente assim elas realmente entenderão as diferenças entre os conceitos de querer e precisar, bem como a importância de ter metas.

Além das recompensas por esforços (que citamos na segunda dica) estipule uma mesada para seus filhos. O indicado é que esse dinheiro seja esporádico até os cinco anos de idade, semanal entre 6 e 8, quinzenal dos 9 aos 11, e mensal a partir dos 12.

5. Estimule a criança a anotar gastos

A prática de anotar gastos é algo que muitos adultos não fazem e que acabarão precisando para conseguirem organizar as finanças. Uma boa educação financeira infantil deve incentivar crianças que já sabem escrever a irem anotando em um papel tudo aquilo que gastam.

Faça com que isso torne-se um hábito. Todo final do mês você pode se sentar com seu filho e ver a lista de tudo que ele gastou e se conseguiu guardar algum dinheiro para realização de suas metas.

6. Dê um cofrinho

O tradicional cofrinho é o objeto ideal para aulas de educação financeira para crianças. Por mais simples que seja o objeto, por meio dele os pequenos aprendem sobre o hábito de poupar.

Lembra das metas definidas na dica número três? Quando a criança tirar o dinheiro do cofrinho para finalmente realizar o objetivo, ela sentirá uma grande satisfação.

Dessa maneira, seu filho realmente assimilará que vale mais a pena economizar um pouco do dinheiro para realizar seus sonhos do que gastá-lo com coisas desnecessárias.

7. Mostre que o dinheiro acaba

O que acontece quando uma pessoa gasta mais do que tem? Esta é uma noção muito importante de ser apreendida pelas crianças, pois evitará que se tornem adultos endividados.

Se seu filho quer comprar um jogo e se propôs a guardar X reais por mês, mas chegou no dia 20 e o dinheiro acabou, ele precisa entender que isso atrapalhará sua meta.

Ainda, é muito importante que ele saiba que quando o dinheiro acaba deve-se esperar o próximo mês para fazer novas compras.

Esta lição pode ser um pouco sofrida, ainda mais quando a criança ainda está começando a entender o esforço necessário para ter dinheiro.

8. Seja o exemplo

Não há dúvidas de que crianças se espelham em seus pais. Por isso, de nada adianta você seguir todas as dicas até aqui se seus filhos virem os pais gastando demais, sendo impulsivos ou priorizando os desejos em relação às necessidades.

Faça com que seus filhos vejam os pais pesando suas decisões de gastos, economizando, investindo, adiando compras que não podem pagar e praticando outros comportamentos saudáveis.

O mesmo se aplica às conversas sobre dinheiro que o casal tem dentro de casa. Cuide com como o assunto é tratado. Muitos adultos hoje em dia têm problemas até em ganhar dinheiro porque foram criados com a noção de que ser rico não é bom ou que ter dinheiro é algo ruim.

Caso você tenha problemas financeiros, não precisa também esconder dos seus filhos. Pelo contrário, tenha uma conversa franca e fale sobre alguns ajustes que todos na família precisarão fazer para que o problema seja resolvido o mais rápido possível.

Por fim, já que ensinar crianças a controlar dinheiro é também mostrar na prática como se faz, veja algumas dicas que podem lhe ajudar no planejamento financeiro pessoal.

Agora que você conheceu 8 dicas para ensinar as crianças a controlar o dinheiro, conte para nós: você conhece alguma outra estratégia para ensinar educação financeira para os pequenos? Se sim, envie-nos um comentário e compartilhe suas dicas conosco!

Comentários