Uma mão mexendo na calculadora, referência ao cálculo do capital de giro
Capital de giro: tudo sobre

Muitas pessoas têm o sonho de montar seu próprio negócio mas não lembram que, além de ter afinidade com o tipo de produto ou serviço que vai comercializar, também é necessário saber administrar, portanto é necessário entender como funciona o capital de giro.

Para que uma empresa sobreviva ao longo dos anos, é preciso que ela tenha saúde financeira, principalmente. Porém, boa parte delas não chega ao segundo ano de funcionamento.

Isso se deve à falta de capital de giro, pois, nem todos os empreendedores dão a devida atenção a esse ponto tão importante para as finanças da empresa.

Na maioria das vezes, o empresário nem tem conhecimento do que é o capital de giro e para que ele serve. Dessa forma, acaba tendo problemas com seus pagamentos e ficando sem reserva para momentos de crise.

Se você quer saber tudo sobre capital de giro antes de abrir sua empresa, acompanhe este artigo e fique de olho nos seguintes pontos:

O que é capital de giro?

Quando alguém quer abrir uma empresa, é necessário que o empreendedor tenha uma soma em dinheiro para fazer o que é denominado de investimento fixo, para a compra de móveis, máquinas, veículos, imóvel etc.

Mas, para que o negócio comece a funcionar e tenha recursos financeiros suficientes para manter seus compromissos em dia – como aluguel, impostos, pagamento de funcionários – é importante que ele tenha capital de giro.

O capital de giro, nada mais é do que o ativo circulante da empresa, ou seja, uma parte do investimento que é usada como reserva para atender aos compromissos financeiros em situações adversas.

Ele faz parte de um conjunto de recursos que estão no caixa, nas contas bancárias, nos investimentos líquidos, pagamentos a receber e que podem ser usados de maneira rápida para os compromissos citados acima.

Em caso de vendas a prazo, por exemplo, em que você não recebe o valor total do produto, é preciso ter uma reserva para custeio das despesas fixas da empresa. Isso até receber o valor da venda.

Isso funciona mais ou menos como um empréstimo ao banco, porém, esse banco é a própria empresa. Por isso, é importante lembrar que o dinheiro da reserva deve ser devolvido, assim como você faria com o banco.

No caso de negócios que são afetados pela sazonalidade do mercado, o capital de giro também é importante. Pois, vai ajudar a manter a empresa funcionando nos meses de venda abaixo do que é normalmente ideal.

A importância do capital de giro para a empresa

O seu capital de giro disponível é que vai dizer quanto tempo a sua empresa vai se manter ativa no mercado. É ele que vai impedir que o negócio adquira dívidas ou seja pego de surpresa por alguma crise inesperada.

Portanto, se a empresa possui um capital de giro baixo, não terá muito fôlego. O ideal é que a reserva de recursos permita que a empresa se mantenha por pelo menos seis meses sem entrada de nenhum valor.

Quanto menor for o capital de giro da empresa, maior será o risco financeiro. Por isso é importante que seja bem administrado, levando em consideração as decisões de compra, venda, fluxo caixa e o momento da economia.

Conhecer bem sobre o seu ramo de negócio também ajuda bastante, pois, será possível identificar com antecedência a sazonalidade de vendas, os custos e a necessidade de vender o produto parcelado.

Capital de giro negativo é um péssimo sinal, já que significa que a sua empresa está gastando mais do que recebendo e utilizando toda a sua reserva. Em algum momento o dinheiro vai faltar e a empresa vai contrair dívidas.

Infelizmente, nem todos os empresários sabem o que significa capital de giro ou tem noção da sua importância. Isso é um dos principais fatores que levam inúmeras empresas à falência.

Calculando o capital de giro

Para que o seu negócio tenha vida longa, você já sabe que é preciso ter capital de giro. Assim você garante que sua empresa vai ter recursos sempre que tiver necessidade.

Dessa forma, também é importante fazer o cálculo correto de quanto a sua empresa precisa de capital de giro. O recomendado é que seja pelo menos seis vezes mais do que o valor da sua despesa mensal.

O cálculo do capital de giro líquido é feito ao subtrair o passivo circulante do ativo circulante. Sendo que o passivo circulante é formado pelas despesas fixas e o ativo circulante pelos recursos disponíveis à empresa.

Lembre que, quanto maior for o seu capital de giro, mais folga você vai ter para manter seus compromissos financeiros em dia, esperar o valor das contas a receber, investir em estoque e melhorias.

E o mais importante, as instituições financeiras também usam o seu capital de giro como critério para aprovar financiamentos já que, quanto menor ele for mais chances de faltarem recursos e o seu negócio ficar inadimplente.

Administre bem 

Não basta apenas ter um bom capital de giro, é preciso saber administrar bem seus recursos. Se a empresa gasta mais do que ganha, uma hora a conta não vai fechar no positivo.

Procure fazer um controle das contas a pagar e receitas, assim você vai poder identificar possíveis erros e cortar gastos desnecessários. Acompanhe o seu fluxo de caixa com atenção e mantenha os pagamentos em dia.

Quando utilizar o capital de giro para cobrir alguma despesa, lembre que aquele valor deve ser reposto, afinal, se trata de uma reserva que deve estar sempre lá para qualquer necessidade.

Se for possível, negocie prazos maiores para o pagamento dos seus fornecedores ou um desconto, para o caso de pagamento à vista. Da mesma forma, se a empresa pode, antecipe os pagamentos que estão em aberto.

Não ofereça as mesas condições de pagamento para todos os seus clientes. Faça um acompanhamento minucioso de quem é inadimplente e, se for necessário, faça a venda com prazos mais curtos.

Considere bastante antes de fazer empréstimo a fim de usar como capital de giro. Mas se for inevitável, faça de forma planejada e pesquise as instituições financeiras com as melhores condições e taxas de juros.

Todo empreendedor deve ter um bom conhecimento sobre negócios. Agora que você já sabe tudo sobre capital de giro, compartilhe este artigo em suas redes sociais!

Leia também sobre como organizar sua vida financeira.

Comentários