dicas de investimento para iniciantes
Investimentos

Nunca é tarde para começar a investir e fazer um investimento nem é tão complicado quanto parece. Tudo depende apenas da sua força de vontade. No entanto, antes de pensar em investir, é necessário equilibrar as finanças. Ou seja, a soma de suas receitas precisa ser superior às suas despesas no mês.

Um erro muito comum, por exemplo, é se preocupar em poupar e investir, sendo que está com dívidas no cartão de crédito ou no cheque especial. É importante, antes de começar a pensar em aplicar em qualquer coisa quitar todas as suas dívidas com os bancos. Afinal, os juros das aplicações nunca irão superar os juros dessas pendências.

Depois que a sua situação estiver regularizada, é preciso separar a quantidade que vai ser guardada para investir mensalmente. O foco tem que estar sempre em guardar 15% do total de recursos ganhos todos os meses. Isso é algo totalmente plausível com um bom planejamento. Então, caso isso não esteja sendo possível, é importante reavaliar os gastos, cortar supérfluos e reorganizar suas contas.

Outros 55% dos recursos recebidos devem ser destinados para quitar todas as contas mensais, como luz, água, celular, internet, TV a cabo, telefone, condomínio, aluguel, alimentação e etc. Simplesmente todos os seus gastos fixos mensais devem caber dentro desse bolo e, caso isso não esteja sendo possível, vale pensar em cortar alguns gastos fixos.

Neste caso, lembre-se de sempre ir dos mais supérfluos para os mais obrigatórios, como, por exemplo, diminuir a velocidade da internet (caso o trabalho não dependa disso), economizar mais na energia elétrica ou até cortar a TV a cabo enquanto a renda não aumente, permitindo que essa despesa supérflua seja recontratada mais adiante.

Gastos supérfluos

Por fim, os últimos 30% dos recursos podem ser separados para gastos supérfluos, como bares, restaurantes, cinemas e compras em geral. Apesar de ser mais difícil ainda controlar esses gastos, essa quantia nunca deve ser ultrapassada.

Os 15% que serão poupados devem ir imediatamente após o recebimento para a sua conta de investimento. A partir deste ponto, é o seu dinheiro só irá crescer.

O primeiro passo para começar a investir é identificar o seu perfil de investidor, por meio do preenchimento de um questionário de suitability. Com isso, você irá saber se tem um perfil conservador, moderado ou arrojado, o que será vital para que o seu assessor de investimento te oriente na hora de indicar aplicações.

Caso você tenha um perfil conservador, fique atento aos produtos de renda fixa, que remuneram bem e te blindam de grandes riscos, como CDB (Certificado de Depósitos Bancários), LCA (Letras de Crédito do Agronegócio), LCI (Letras de Crédito Imobiliário), LC (Letras de Câmbio) e títulos públicos do Tesouro Direto, como LTN (Letras do Tesouro Nacional), NTN-F (Notas do Tesouro Nacional – Série F), NTN-B (Notas do Tesouro Nacional – Série B), NTN-B Principal (Notas do Tesouro Nacional – Série B Principal) e LFT (Letras Financeiras do Tesouro). Para esse perfil, também são interessantes os fundos de renda fixa.

Perfil moderado

Para quem tem um perfil moderado, além desses papéis, já passa a ficar interessante as Debêntures, CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) e CRAs (Certificados de Recebíveis do Agronegócio), que também são títulos de renda fixa, mas possuem uma rentabilidade mais elevada por conter mais risco.

Já para os agressivos (ou arrojados), o leque de opções fica muito mais amplo, incluindo a renda variável (ações da bolsa de valores), Fundos Imobiliários, Fundos Multimercado, Fundos de Ações, Derivativos (Futuros, Swaps, Termo e Opções) e operações estruturadas, que também utilizam derivativos. O seu assessor de investimento irá conseguir te aconselhar bem nas escolhas.

Considerações finais

Outra coisa muito importante na hora de investir é sempre ficar atento à tributação, que pode comer muito a sua rentabilidade sem que você perceba. Tente entender qual é a alíquota de imposto de renda de cada produto que está adquirindo e coloque na conta final esses descontos, para não receber menos do que o esperado no vencimento de seus títulos.

Poupar e investir bem são coisas vitais para garantir um futuro promissor para você e sua família. Afinal, a coisa mais degradante que existe é chegar à terceira idade e passar a depender dos filhos, sem poder viajar e curtir com abundância sua aposentadoria. Não peca tempo e começa agora mesmo a planejar o seu futuro.

Nos vemos no próximo artigo.