imóvel
imóvel

Todas as pessoas que decidiram adquirir um imóvel, sem dúvida, chegaram a pensar qual a melhor forma de fazer isso: financiar tudo, financiar parte, pagar a vista ou até mesmo um consórcio. Outra grande dúvida é: será que vale a pena comprar; ou morar de aluguel e deixar o dinheiro investido?

Para ajuda-lo com essas dúvidas, preparamos esse artigo e alguns materiais exclusivos, como planilhas e um guia de financiamento imobiliário.

Listo abaixo os principais pontos que você deve se atentar ao pensar em comprar um imóvel:

Renda comprovada

Se você não for pagar o imóvel à vista, é importante ficar atento se a sua renda declarada é compatível com o saldo que você irá financiar. Em regra geral, os bancos alegam que você não pode comprometer mais de 30% da sua renda. Fique atento ainda se você já não possui dívidas em bancos, pois a análise de crédito consegue visualizar toda “capivara” e isso reduziria seu limite de crédito.

De forma objetiva, simule seu financiamento antes de fechar a compra. Recomendo o site o simulador da caixa econômica federal.

Cuidado com o INCC para imóveis na planta

O Índice Nacional da Construção Civil (INCC) é o atualizador do valor do Imóvel durante as obras. De forma prática, se você compra um imóvel de R$ 300.000,00 para entrega em três anos, com o compromisso de pagar R$ 2.500,00 por mês (36 meses x R$ 2500,00 = R$ 90.000,00). Logo, racionalmente, você pode imaginar que restam R$ 210.000,00 para financiar. Só que não. Nos últimos três anos (2015, 2014 e 2013), o índice acumula, respectivamente, 7,49%, 6,94% e 8,09%, o que representa uma alta de 22,52%. Se somarmos essa alta, esse imóvel de R$ 300.000,00 passou para R$ 367.560,00. Como você pagou R$ 90.000,00 restam R$ 277.560,00 e não os R$ 210.000,00. Tome cuidado, pois poucos corretores de imóveis fazem essa conta.

Financiar, Pagar parte, Pagar à Vista ou fazer um consórcio

A resposta é: Depende! E vou explicar o motivo.

Não tenho tempo para esperar

Se você tem urgência para financiar o imóvel e não tem reservas, sua única alternativa é o financiamento.

Tenho até 6 meses e possuo 60% do valor do imóvel

Se você tem até 6 meses e possui até 60% do valor do imóvel, o consórcio pode ser uma excelente alternativa. Nessa modalidade de crédito, você participa de um grupo que em média os três melhores lances por mês são contemplados. Atenção: você só paga o lance se for contemplado, se não for, poderá dar o lance no próximo mês. A grande vantagem do consórcio é sua taxa reduzida em relação ao financiamento. A Porto Seguro consórcio, por exemplo, tem uma das taxas mais baratas do mercado. Veja abaixo:

Taxa de administração: 0,09% ao mês;

Fundo de Reserva: 0,50% no total do plano;

Seguro Prestamista: 0,031% sobre o saldo devedor;

Sem dúvida, muito mais atrativo que um financiamento imobiliário. Nos grupos de imóveis, com 60% do valor para usar como lance você praticamente será contemplado. Como margem de segurança (os seis meses), você ainda terá seis chances para dar o lance.

Tenho o dinheiro, mas não tenho pressa

Essa é a melhor condição, pois, com ela, várias oportunidades se abrem. Entre elas, esperar as melhores oportunidades imobiliárias e a outra é avaliar se de fato engessar o dinheiro em um imóvel é a melhor alternativa.

Em relação às oportunidades imobiliárias, você pode escolher o tipo de imóvel que deseja e começar a mapear com imobiliárias e até mesmo feirões. Com certeza, você encontrará um desesperado, principalmente nesse momento de crise, que, para você, será oportunidade.

Quanto à forma de pagar, faça o seguinte exercício: se o seu dinheiro aplicado render mais que o valor da parcela que pagaria no financiamento, prefira deixa-lo aplicado e entre de cabeça em um financiamento. Não deixe de analisar ainda o consórcio como citei no item anterior.

Não tenho dinheiro, mas tenho renda e urgência.

Essa é uma situação muito comum à maioria dos brasileiros, afinal, viver no Brasil não é para os fracos. Fique calmo, existe uma saída. Veja abaixo:

Morar de aluguel e juntar uma boa entrada

Morar de aluguel é uma excelente alternativa para quem deseja juntar dinheiro para usar como entrada em um imóvel. Você irá postergar seu sonho e ao mesmo tempo realizará um “test drive” em um imóvel no padrão que deseja. Isso exige bastante comprometimento com a poupança para a compra do imóvel. Tome cuidado! Guarde o máximo possível. Entenda que isso é temporário e foque no seu objetivo.

Esses são os principais cuidados que se deve ter ao pensar em adquirir um imóvel e comparar as alternativas para pagamento. Uma dica adicionar seria:

Vou conseguir pagar? A pior coisa que pode acontecer é você não ter a renda necessária para o banco aprovar o financiamento imobiliário e você ser obrigado e devolver o imóvel. Caso isso aconteça, com muita sorte você terá de volta 60% do valor investido. Não adianta reclamar, pois isso é clausula na maioria dos contratos.

Se for financiar, compare os financiamentos. Se for pagar à vista, verifique se deixar o dinheiro aplicado não paga a parcela do financiamento. Ter liquidez não tem preço. Se você tem urgência, não saia comprando no desespero, pense em juntar e morar por um tempo de aluguel. Depois que tiver uma entrada, avalie com calma e procure bem. Se já tem um imóvel e deseja investir em outro, considere alternativas de investimentos: consórcio, fundos, renda fixa e fundos imobiliários.

Sucesso nos investimentos!

Comentários