QUANTO RENDE 100.000 NA POUPANÇA
QUANTO RENDE 100.000 NA POUPANÇA

Quanto rende 100.000 na poupança?

Quem deseja começar a investir, seja para montar uma reserva de emergência ou conquistar outros objetivos, costuma ter bastante curiosidade sobre os rendimentos. Uma forma interessante de comparar várias opções é simular valores. Você sabe quanto rende, por exemplo, 100.000 reais na poupança?

Ainda que esse não seja o valor que a maioria dos investidores pretendem manter em uma mesma aplicação, usá-lo como exemplo ajuda a ter uma noção da rentabilidade e observar diversos investimentos. Afinal, vale a pena estudar alternativas antes de escolher onde aportar, não é?

Além disso, não é raro vermos pessoas dizendo que não vale a pena investir na poupança. Mas será mesmo? Então que tal descobrir a resposta?

Continue a leitura deste post e descubra quanto rende 100.000 na poupança e se esta é uma opção válida ou não para você!

 

Como a poupança funciona?

Para responder quanto rende 100.000 na poupança, precisamos dar maiores detalhes sobre o seu funcionamento. A poupança geralmente é conhecida pela maioria dos brasileiros – sendo até hoje a aplicação mais popular no país.

A caderneta de poupança consiste em uma conta aberta em um banco. Ela é muito semelhante à conta-corrente, já que é possível, a partir dela, realizar e receber transferências, fazer compras com o cartão de débito, etc.

A diferença em relação à conta-corrente é que o dinheiro depositado na poupança rende juros. O rendimento se dá a cada mês. Ou seja, você só receberá a renda passiva sobre o montante investido quando completarem 30 dias da data de aplicação.

Qual rendimento da poupança?

Atualmente, a poupança apresenta duas regras diferentes que regem a sua rentabilidade. Até 2012, era apenas uma: a caderneta rendia a uma taxa de juros de 0,5% ao mês, somada à taxa referencial ou TR.

Mas, a partir daquele ano, a poupança passou a render de acordo com a taxa básica de juros, a Selic. Então, existem duas regras possíveis atualmente:

  • Em cenários nos quais a Selic está acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança permanece o mesmo de antes: 0,5% ao mês, acrescida da taxa referencial.
  • Quando a taxa Selic estiver em um patamar igual ou menor do que 8,5% ao ano, a caderneta rende 70% da Selic, mais a taxa referencial.

Em 2017, a taxa básica de juros da economia brasileira foi cortada para um valor menor do que 8,5% ao ano – e passou por quedas sucessivas desde então. Logo, a poupança nos últimos anos vem apresentando rendimentos de 70% da Selic + TR.

É importante conhecer a lógica de rendimentos para ser capaz de entender, de fato, como é investir na poupança e verificar se ela está entre os melhores investimentos. Como você pode ver, a rentabilidade dela vem caindo.

Em contextos de baixa na taxa Selic, não só a poupança, mas diversos investimentos da renda fixa perdem atratividade.

Há, inclusive, o risco de os rendimentos obtidos serem menores do que o índice de inflação – fazendo o investidor perder dinheiro, na prática. Isso porque o poder de compra, nesta situação, é reduzido.

Afinal, quanto rende 100.000 na poupança?

Aprender o aspecto teórico da rentabilidade da poupança já permite compreender um pouco mais de suas vantagens ou desvantagens. Mas um exemplo prático ajuda bastante no entendimento.

Por isso, vamos voltar à pergunta inicial: quanto rende 100.000 reais na poupança?

Veja na prática o quanto o valor teria rendido segundo as taxas de rentabilidade dos anos de 2017, 2018 e 2019 no Brasil:

2017

Em 2017, o rendimento da poupança seguindo a regra de 70% da taxa Selic foi de 6,93% ao ano. Com isso, caso fossem aplicados cem mil reais naquela época, o dinheiro depois de doze meses na caderneta somaria um total de R$ 106.930,00 – em uma conta simples, excluindo o efeito dos juros compostos.

2018

No ano de 2018, a taxa de rendimento da poupança foi um pouco menor: de 4,55% ao ano. Logo, um investimento de cem mil reais se transformaria em R$ 104.550 depois de 12 meses – também sem considerar os juros compostos.

Perceba que, nesta situação, o investidor teria um ganho de quase 2 mil reais a menos do que no ano anterior.

2019

Com novos cortes na taxa básica de juros, Selic, a poupança em 2019 rendeu apenas 4,20% ao ano. Mais uma vez, utilizando nosso valor referência de cem mil reais, o montante depois de 12 meses seria de R$ 104.200,00 – sem a incidência dos juros compostos, mais uma vez.

A simulação dos valores entre os três anos deixa evidente o quanto a baixa na Selic afeta os rendimentos na poupança. Em 2020, com a taxa de juros a 3% ao ano, os resultados da caderneta serão ainda mais limitados.

Existem investimentos mais rentáveis?

Agora que você já sabe que a poupança vem perdendo em rentabilidade nos últimos anos, pode estar se perguntando: afinal, será que as considerações sobre quanto rende 100.000 na poupança significam que não vale a pena investir na caderneta?

De fato, podemos dizer que existem melhores investimentos que a poupança disponíveis no mercado – especialmente em relação à rentabilidade. Tanto na renda fixa quanto na renda variável.

Embora apresente algumas vantagens, como a segurança e a isenção de Imposto de Renda, a verdade é que há alternativas no mercado com os mesmos benefícios e rendimentos maiores. Outras opções oferecem maiores riscos, mas também maiores chances de bons ganhos.

Conheça algumas opções:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic tem sido visto por muitas pessoas como um bom substituto para a poupança. Ele tem funcionamento simples e é muito seguro – os títulos públicos são os investimentos mais seguros do mercado.

A vantagem dele em relação à caderneta é que seu rendimento é de 100% da taxa Selic. Ainda que não tenha isenção de Imposto de Renda, acaba rendendo mais que a poupança. Além disso, a rentabilidade é diária, e não apenas mensal.

CDBs: quanto rende?

Certificados de Depósito Bancário são outros investimentos interessantes na renda fixa. Geralmente, a rentabilidade deles está atrelada ao CDI – que é um índice com valor próximo ao da Selic.

Eles são oferecidos por bancos públicos e privados e é possível encontrar rendimentos de mais de 100% do CDI. Em relação à segurança, os CDBs são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito.

Aqui, vale uma observação importante: antes de escolher um CDB para investir, lembre-se que o vencimento do investimento pode ser um limitador de liquidez.

Assim, se o seu objetivo é ter o dinheiro disponível para resgate a qualquer momento, o mais indicado são os CDBs com liquidez diária.

LCIs e LCAs

Semelhantes aos CDBs, as Letras de Crédito também são investimentos de renda fixa privada oferecidos por bancos. A vantagem delas é que são isentas de Imposto de Renda. Assim, as rentabilidades podem ser ainda mais atrativas.

Fundos DI

Mais uma alternativa à poupança são os fundos DI, principalmente para reserva de emergência ou planos de curto prazo. Eles apresentam alta liquidez, o que significa que o dinheiro pode ser resgatado com facilidade.

Renda variável

Além da renda fixa, existem oportunidades ainda melhores na renda variável, mas é preciso estar disposta a correr um pouco mais de risco. Portanto, atente-se ao seu perfil de investidor antes de fazer sua escolha.

Alguns exemplos deste mercado são os fundos imobiliários, fundos de ações e as próprias ações. É importante destacar que a renda variável é mais indicada para planos de longo prazo – uma vez que a volatilidade dos investimentos tende a ser alta no curto prazo.

Tendo em vista quanto rende será que vale a pena investir na poupança?

Depois do que você aprendeu sobre a forma de rentabilidade da poupança, fica bastante evidente que, na maior parte das vezes, não vale a pena fazer esse investimento, não é mesmo?

Afinal, é viável encontrar no mercado diversas opções com as mesmas vantagens que a caderneta e com melhores rendimentos.

Além disso, quem pode abrir mão de um pouco de segurança e liquidez encontra possibilidades de rentabilidades muito mais interessantes na bolsa de valores. Assim, o dinheiro investido tende a conquistar resultados ainda melhores no médio e longo prazo.

Neste post, você descobriu quanto rende 100.000 na poupança e conheceu algumas alternativas que apresentam mais benefícios do que este investimento.

Lembre-se que, com a baixa da taxa Selic, a caderneta se torna cada vez menos vantajosa, podendo lhe fazer perder dinheiro para a inflação. Portanto, vale sempre a pena conhecer suas alternativas e optar por produtos ou ativos mais rentáveis, sempre considerando seu perfil e objetivos pessoais.

E você, gostou de saber mais sobre o rendimento da poupança e as opções de investimento alternativas disponíveis no mercado? Então compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!