Política
Política

O cenário da política brasileira está tão conturbado que, quando levantamos da frente das notícias por cinco minutos, não sabemos o que iremos encontrar ao voltar. Nesta semana, aconteceram inúmeras reviravoltas que mexeram muito com os mercados e, quem está sabendo aproveitar e tendo um timing bom, está conseguindo ganhar muito dinheiro.

Lula foi nomeado ministro-chefe da Casa Civil, fazendo o dólar disparar nos dois primeiros dias da semana. Já na quarta-feira, uma ressaca tomou conta do mercado e, durante o pregão, o cenário político influenciou menos os mercados do que a decisão do FOMC (Federal Open Market Committee) de manter os juros norte-americanos inalterados. No entanto, ainda na quarta-feira, no fim do dia, uma escuta de um telefonema de Dilma e Lula foi liberada para a imprensa pelo Juiz Sérgio Moro.  Revelou-se que ele só ia tomar posse para ganhar foro privilegiado e fugir de uma possível prisão. A notícia virou o cenário de cabeça para baixo mais uma vez, fazendo as ADRs (American Depositary Receipts) de Petrobras subirem quase 10% no after market da bolsa de Nova York. Isso indicava que no dia seguinte o mercado seria agitado por aqui.

Resultado

Não deu outra, a quinta-feira começou animada nos mercados e, mesmo com a posse do Lula no ministério, o dólar estava com forte queda e o Ibovespa com uma alta superior a 3%. Para completar, a cereja do bolo veio segundos depois de o Lula tomar posse no ministério, com o juiz Itagiba Catta Preta Neto deferindo uma liminar para suspender a entrada do ex-presidente no governo, alegando crime de responsabilidade. A ótima notícia levou o Ibovespa a subir mais de 7% no intraday e o dólar desabar quase 4%. Ações como Petrobras (PETR4), Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3) subiram mais de 10% cada.

Até o fechamento desta matéria, estes foram os principais fatos registrados. Mas a qualquer segundo um episódio novo de nosso House of Cards nacional pode inverter toda a situação mais uma vez. Por isso, se você opera ações ou dólar, é muito importante que fique atento no desenrolar político. É isso o que está ditando, majoritariamente, os movimentos dos mercados.

E assim irá permanecer a situação até que ocorra o impeachment ou renúncia da presidente Dilma Rousseff. Assim como uma eventual prisão do ex-presidente Lula. Esses fatos na política podem fazer surgir as melhores oportunidades de ganho com o mercado de capital da história de nossa bolsa de valores. Então é preciso ficar atento para acertar o timing, que é o fator mais crucial para o sucesso em situações deste tipo.

A Política e imaturidade do mercado

O mais triste nessa história é ver como o nosso mercado ainda é imaturo. Essa sensibilidade extrema dos papéis com notícias políticas mostra o quão nosso mercado ainda é cru, afinal, em mercados maduros. Nunca que empresas seriam tão impactadas por notícias de âmbito macroeconômico. Isso porque elas não estão ligadas diretamente aos fundamentos microeconômicos de cada empresa.

Por exemplo, faz sentido a Petrobras subir 17% com uma notícia, sendo que a empresa continua endividada e destruída pela corrupção? Em nada aquela notícia irá mudar no balanço e na capacidade produtiva da empresa. Portanto, a alta acaba sendo artificial. Faz sentido se pensarmos que foi exatamente este governo que destruiu a companhia petrolífera, então sua saída do poder irá beneficiá-la a longo prazo. Mas o fato de uma troca de governo não irá fazer a empresa se salvar do dia pra noite.

De qualquer forma, maturidade de mercado vem com o tempo e com um governo responsável, transparente e não intervencionista. Portanto, não é algo que podemos esperar para os próximos anos. Enquanto isso, vamos aproveitar o rali e lucrar em meio a tantas notícias, afinal, precisamos recuperar de alguma forma o dinheiro que nos é tirado diariamente por meio de impostos, inflação e corrupção através da política.