Você já ouviu falar no termo “blockchain e criptomoeda”? Essas palavras estão cada vez mais populares no mundo, mas muitas pessoas ainda não sabem o que significam e nem como funcionam.

Imagine que você e seu amigo estejam transferindo dinheiro de uma conta para outra. Geralmente isso é feito através do seu banco. Nessa transferência de valores, os bancos mantêm uma entrada no registro de transações.

Mas há um problema: isso pode ser adulterado. Entradas de transações podem ser facilmente manipuladas ou alteradas. É aqui que entra o blockchain considerado um livro contábil compartilhado.

O que é blockchain?

Vamos dar um exemplo prático. Você conhece o Microsoft Excel, certo? Essa planilha é compartilhada entre diferentes redes de computadores, onde todos têm uma cópia do mesmo. A planilha contém informações das transações realizadas por pessoas reais.

Receba nosso conteúdo exclusivo

Se cadastre

Qualquer pessoa pode acessar essa planilha, mas ninguém pode editá-la. Isso parece o blockchain! Ele funciona com blocos, onde a planilha trabalha com “linhas” e “colunas”. Dessa forma, um bloco em um blockchain é uma coleção de dados. 

Os dados são adicionados ao bloco, conectando-o com outros blocos em ordem cronológica, criando uma cadeia interligada. O primeiro bloco no blockchain é chamado de “Genesis Block”.

Blockchain é um registro distribuído (ledger)

Isso significa simplesmente que um registro, ou mais conhecido como ledger, está espalhado entre todos os pares da rede, e cada par detém uma cópia do registro completo.

Muitas características do blockchain provam que ele é melhor que os sistemas tradicionais de manutenção de informações contábeis. Outras vantagens desse sistema são as seguintes:

Peer-to-Peer: Nenhuma autoridade central pode controlá-lo ou manipulá-lo. Todos os participantes conversam entre si diretamente. Isso permite que a troca de dados seja feita entre eles.

Distribuído: O ledger é distribuído por toda a rede, o que dificulta a falsificação.

Protegido criptograficamente: A criptografia é usada para os serviços de segurança para tornar o ledger inviolável.

Add-Only: Os dados só podem ser adicionados no blockchain com ordem sequencial de tempo. Dessa forma, uma vez que os dados são adicionados ao blockchain, é quase impossível alterá-los e assim pode ser considerado praticamente imutável. 

Consenso: Este é o atributo mais crítico de todos. Isso dá ao blockchain a capacidade de atualizar o ledger por consenso. É isso que lhe dá o poder da descentralização. Nenhuma autoridade central está no controle de atualizar o ledger. 

Em vez disso, qualquer atualização feita no blockchain é validada contra critérios estritos definidos pelo protocolo blockchain. Além disso, são adicionados ao blockchain somente após um consenso ter sido alcançado entre todos os “nós” participantes da rede.

Como o blockchain funciona?

1 – Tudo começa pelo “nó”

Um nó inicia uma transação e, em seguida, assina-a digitalmente com sua chave privada (criada por meio de criptografia). Uma transação pode representar várias ações em um blockchain. 

Geralmente, essa é uma estrutura de dados que representa a transferência de valor entre os usuários na rede blockchain. A estrutura de dados de transação consiste em alguma lógica de transferência de valor, regras relevantes, endereços de origem e destino e outras informações de validação.

2 – Protocolo Gossip

Uma transação é propagada (inundada) usando um protocolo de inundação, chamado protocolo Gossip, para pares que validam a transação com base em critérios predefinidos. Geralmente, são necessários mais de um nó para verificar a transação.

3 – Depois da verificação

Depois que a transação é validada, ela é incluída em um bloco, que é então propagado na rede. Neste ponto, a transação é considerada confirmada.

4 – Bloco criado

O bloco recém-criado agora se torna parte do ledger, e o próximo bloco se vincula criptograficamente a este bloco. Nesse estágio, a transação recebe sua segunda confirmação e o bloco recebe sua primeira confirmação.

5 – Confirmações necessárias

As transações são então reconfirmadas toda vez que um novo bloco é criado. Normalmente, seis confirmações na rede são necessárias para considerar a transação final.

Quer saber mais sobre Bitcoin e o universo das criptomoedas? Se cadastre e não perca nenhum conteúdo.

 

Comentários