Bolsa de Valores
Bolsa de Valores

Você, investidor, que já opera no mercado ou tem o interesse de ingressar, já parou para observar a história da Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores no Brasil foi criada em 1890, como “Bolsa Livre”, mas apenas em 1935 que passou a ser denominada como BOVESPA. Até 1960, a Bovespa era uma entidade oficial corporativa ligada a Secretaria de Finanças Pessoais. Mas, passados cinco anos, passou a ser considerada uma Associação Civil sem fins lucrativos, com autonomia financeira e institucional.

Em 1972, Bovespa, foi a primeira bolsa brasileira a implementar um sistema de pregão automatizado. Lembrando que havia naquela época a Bolsa do Rio de Janeiro. Ela teve a funcionalidade até 2000, quando a Bovespa consolidou o mercado de ações brasileiro, integrando todos as negociações de ações do país.

A Bolsa de Valores abriu o capital em 2007 (conhecido como IPO, Initial Public Offering – ou Oferta Pública Inicial, na tradução), lançando assim suas ações no mercado financeiro. Mas qual é a finalidade de uma empresa abrir seu capital?

Geralmente, uma instituição financeira lança ações na bolsa para captar recursos, para financiar novos projetos ou melhorar fluxo de caixa. Diante disto, a Bovespa captou em seu IPO, R$ 6,625 bilhões e, logo no primeiro dia, suas ações valorizaram 52,13%.

Com o cenário favorável, um ano depois, a Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), instituição que negocia moedas, taxa de juros, commodities, índices e etc. – e teve sua criação em 1986 – aproveitou e abriu o capital também, se capitalizando em R$ 5,98 bilhões.

No mesmo ano, em 2008, ocorreu a fusão entre as duas bolsas brasileiras (Bovespa e BM&F), criando assim uma das maiores Bolsas de Valores e Futuros do Mundo: denominada BM&FBovespa, nome que permanece até hoje.

Confira abaixo o vídeo e entenda melhor sobre a história da nossa Bolsa de valores: