Offshore
Offshore

As pessoas logo irão perceber que investir nesta classe de fundos não é um crime. Segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), na deliberação n° 71- seção II, serão classificados como Offshore os Fundos constituídos fora do território brasileiro, cujo gestor esteja localizado no Brasil, devendo ser enquadrados de acordo com uma das classes abaixo descritas:

1. Offshore Renda Fixa.

2. Offshore Renda Variável.

3. Offshore Mistos.

Por que investir em fundos Offshore

Diversificação é uma das justificativas para investir em um fundo no exterior. Oferecido por diversos agentes de mercado, os investimentos brasileiros em produtos Offshore visa também proteção de capital e remuneração referenciada no risco Brasil. Além disso, os fundos são registrados em jurisdição externas ao domicílio do cotista e ou do gestor, oferecendo benefícios de privacidade e variedade de vantagens relacionadas a tributação, pois não estão sujeitos à tributação da indústria de fundos local.

Quem pode investir nos Fundos Offshore

Destinam-se a pessoas físicas, jurídicas e investidores institucionais com recursos disponíveis no exterior. Sendo que é de responsabilidade de cada investidor certificar de que seja elegível para compra desses fundos, utilizando-se de informações prestadas pelos agentes licenciados para operar com esta modalidade de investimento.

Formas de investir no Offshore

Em síntese, ao investir o dinheiro no exterior é necessário abrir uma conta no país destino. Todo dinheiro enviado, necessita ser via remessa, Western Union, ordem de pagamento, E -conta ou vale postal eletrônico, declarando cada transação deste gênero – Resolução do Banco central 3.250, de 16/12/2004.

Forma ilegal e não considerada como investimento

O “Laranja”

Geralmente, é uma pessoa simples convencida a abrir uma conta em banco. Sem que o “laranja” saiba, os contraventores podem enviar milhões ilegalmente para o exterior. Ou seja, quando a polícia percebe a jogada, já é tarde: como os fraudadores mantêm o máximo de discrição e sigilo, é difícil rastreá-los e descobrir quem de fato armou o esquema.

O empresário de faixada 

Criminosos e contrabandistas costumam abrir empresas falsas para importar mercadorias superfaturadas. Por exemplo, pagam cinco mil reais por um conjunto de camisas, mas o recibo é emitido com o dobro do valor. Ou seja, com o respaldo da nota fiscal, os cinco mil restantes, de origem ilícita, podem ser remetidos para um país com impostos menores que o Brasil.

O Doleiro

Em suma, esta é uma Figurinha fácil em rodas de narcotraficantes e políticos corruptos, o vendedor de dólares age como um corretor de dinheiro em outro país. Quem quer mandar dinheiro para fora entrega um cheque ao doleiro e recebe um crédito em moeda estrangeira. O problema é que toda a operação é ilegal e ocorre sem o conhecimento do governo.

Finalmente, existem várias formas de investir sendo no exterior ou local. Seguindo as leis, não tem problema algum, aliás, pelo contrário, pois é sempre bom potencializar seus investimentos e diversifica-los para mitigar o risco país.