fundos
fundos

Muitas pessoas escutam falar sobre fundos de investimentos, mas não sabem exatamente o que significa essa modalidade de investimentos. Eles são ótimas alternativas para quem não tem muito conhecimento sobre o mercado financeiro ou simplesmente não tem tempo de acompanha-lo.

Um fundo de investimento funciona como um condomínio. Formado pela união de vários investidores, que se juntam para realizar um investimento financeiro com um determinado objetivo e retorno esperado, dividindo os lucros e despesas.

Tanto a administração como a gestão de um fundo são realizadas por especialistas certificados. Enquanto os administradores ficam responsáveis pelos aspectos legais do deles, os gestores montam a carteira visando o maior lucro possível com o menor nível de risco.

Diversificação, gestão especializada, liquidez, praticidade, redução no custo da corretagem e transparência. Tudo isso pode ser encontrado no investimento via fundos, pois contando com os outros investidores, você consegue acesso a produtos com rentabilidade e liquidez que não teria condições de investir individualmente. E ainda com a presença de um profissional especializado.

Para quem é indicado?

Fundos de investimentos são mais indicados para pessoas que não conhecem muito sobre o mercado ou simplesmente não têm tempo para acompanhá-lo. Afinal, quem é estudado no assunto e tem tempo não precisa pagar taxa de administração para um gestor escolher os ativos da carteira.

Assim, se você se enquadrar nesse perfil, ainda precisará definir qual é o melhor fundo indicado para você, afinal, são vários os tipos. O primeiro passo é identificar se o seu perfil é conservador, moderado ou arrojado. Pois assim ficará mais fácil de decidir qual segmento escolher.

Para os mais conservadores, é indicado fundos de renda fixa e fundos referenciados DI, que não são os melhores em rentabilidade. Mas, em compensação, oferecem uma segurança vital para essa classe de investidores. Já os moderados podem optar por um leque mais extenso. Incluindo fundos multimercado não tão expostos a renda variável, fundos cambiais e de crédito privado.

Por fim, para os mais agressivos, todos os fundos do mercado estão à disposição. Além dos outros já citados, esses investidores ainda poderão optar por fundos de renda variável e offshore. São mais arriscados, porém, podem oferecer uma rentabilidade surpreendente.