Conheça alguns dos maiores esquemas de pirâmide financeira e fraude em investimentos do Brasil e do mundo e descubra como não cair nesta armadilha

Uma tentadora oportunidade de ganhar muito dinheiro de maneira fácil e em pouco tempo. É a partir desta irresistível promessa – capaz de seduzir até mesmo os mais céticos – que, normalmente, se inicia o famoso esquema de pirâmide financeira e os velhos golpes e fraudes em investimentos.

Em um primeiro momento, pode parecer difícil cair em uma armadilha como esta. Mas, na prática, a realidade é outra. Os responsáveis por estes esquemas que levam à falência milhares de investidores pelo mundo todos os anos costumam ter uma boa conversa e, muitas vezes, apresentam o “negócio” de maneira tão convincente que se torna quase impossível identificar a sedutora oferta como um grande golpe.

Ainda assim, saiba que é sim possível fugir destas ciladas e se precaver de cair nestas falsas promessas e armadilhas, que podem lhe trazer grandes dores de cabeça e um imenso prejuízo. No artigo de hoje você conhecerá alguns dos maiores casos de pirâmide financeira e fraude em investimentos do Brasil e do mundo e acompanhará algumas dicas importantes para não cair nesta cilada.

Acompanhe!

O que é pirâmide financeira?

O termo pirâmide financeira é um modelo comercial que tem, como principal característica, a insustentabilidade do negócio ofertado. Para atrair investidores, os responsáveis por estes esquemas – considerados crime em diversos países do mundo – prometem altos lucros e dinheiro rápido.

Neste tipo de esquema, há necessidade de atrair cada vez mais investidores, a fim de manter a base da pirâmide e utilizar os investimentos aportados para pagar os investidores do topo a pirâmide. O grande problema é que, devido à falta de sustentabilidade, a pirâmide acaba ruindo em algum momento – prejudicando todos aqueles que, sem saber, fizeram parte desta pirâmide financeira.

Também é comum que pirâmides financeiras e fraudes em investimentos sejam apresentados aos investidores sob o nome de marketing multinível – um modelo de negócios lícito, que acaba sendo confundido com práticas ilegais. É importante, portanto, que se tenha em mente que, em sua essência, o marketing multinível não deve ser considerado uma pirâmide financeira ou algum tipo de golpe.

Essa dificuldade de identificar o que é marketing multinível e o que é, de fato, uma pirâmide financeira, existe justamente porque a maior parte destes esquemas ilegais se mascara de negócios autênticos – a fim de convencer o investidor de que a oportunidade é lícita.

Uma dica importante na hora de tentar identificar o que é ou não uma pirâmide financeira é verificar se o negócio prevê um aporte único, com a promessa de benefícios exponenciais como recompensa no futuro. Se o negócio for irrecusável, desconfie.

Pirâmides e fraudes em investimentos no Brasil

As pirâmides financeiras, golpes e fraudes em investimentos são comuns em qualquer lugar no mundo. No Brasil, alguns casos ganharam notoriedade nos últimos anos.

Um dos principais casos de pirâmide financeira teve início ainda na década de 1990, com as Fazendas Reunidas Boi Gordo. Com a promessa de oferecer um lucro mínimo superior a 40% em apenas um ano e meio, mais de 30 mil investidores foram seduzidos pela oportunidade de aplicar suas economias em contratos de investimento coletivo para aplicação em criação de boi gordo.

Assim como em outros casos de pirâmide, o negócio era insustentável e os lucros repassados aos investidores eram pagos com o dinheiro de novos investidores que entravam no negócio. Em 2001, a empresa não tinha mais dinheiro para honrar os resgates solicitados pelos investidores e sua falência foi decretada em 2004.

Outro caso de golpe financeiro que ganhou notoriedade no Brasil foi o da Alcateia Investimentos, uma empresa que se autointitulava “grupo de investimentos” que prometia uma rentabilidade diária de até 2% aos investidores. A companhia não cumpriu diversas cláusulas de seus contratos e sua administração ficou a cargo de outra instituição, a Maximus Digital.

Além destes, existem muitos outros casos de golpes em investimentos e pirâmides financeiras que ganharam os noticiários no Brasil nos últimos. Um dos mais recentes foi o caso da JJ Invest, descoberto em fevereiro 2019. A empresa, que ficou famosa ao prometer ganhos de 10% ao mês, chegou a patrocinar o time de futebol Vasco da Gama e atuava sem registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Golpes financeiros pelo mundo

O Brasil, no entanto, é apenas um de tantos outros países do mundo que foram palco de pirâmides financeiras e golpes diversos aplicados em investidores. Muitos deles seguiram o conhecido método Ponzi, criado na década de 1920 pelo ítalo-americano Charles Ponzi.

Ponzi ficou conhecido por atrair inúmeros investidores prometendo rentabilidade de 50% em cerca de seis semanas, a partir de um negócio fundamentado sobre a compra de cupons postais de diversos países do mundo, que eram trocados por selos nos EUA a preços mais caros.

O negócio – que ficou conhecido como “Esquema de Ponzi” – era alimentado pelo dinheiro de novos investidores e entrou em colapso pouco tempo depois. A pirâmide deixou inúmeros investidores no prejuízo e resultou em uma condenação a Ponzi, que morreu pobre em terras brasileiras, no ano de 1949.

Em Wall Street, nos Estados Unidos, o caso mais conhecido de pirâmide financeira – e o maior esquema do tipo da história – utilizava justamente o esquema de Ponzi. Projetado pelo gerente de investimentos Bernard Madoff – um dos mais respeitados nomes de Wall Street à época, o esquema administrou recursos de 16 mil vítimas por mais de 16 anos, com a promessa de rentabilidades de 1% ao mês.

A estimativa é que o esquema tenha resultado em uma perda de até US$ 20 bilhões aos investidores ao longo dos anos. Em 2009, Madoff foi condenado por diversos crimes – como fraude contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro e perjúrio – e foi condenado a 150 anos de prisão.

Como não cair em ciladas?

Apesar de ilegais, os esquemas de pirâmide financeira e golpes de investimento continuam fazendo parte do mercado mundial, mantendo-se em pleno funcionamento até que sejam descobertos – geralmente, quando já é tarde demais para os investidores que fazem parte destes esquemas fraudulentos. Apesar disso, algumas dicas podem ser fundamentais para ajudar você a enxergar negócios duvidosos e a não cair nestas ciladas.

A primeira delas é desconfiar de promessas de ganhos substanciais em pouco tempo. Lembre-se sempre que, quanto maior a possibilidade de retorno que um investimento oferece, maiores tendem a ser os riscos. 

Além disso, procure checar o histórico da empresa por meio da qual você está investindo junto aos órgãos reguladores. Verifique se ela está devidamente registrada e apta a atuar no mercado e confira a reputação da mesma no mercado – especialmente entre seus clientes.

Se o seu objetivo é manter seus investimentos no Brasil, evite também investir em mercados e produtos não regulados no mercado brasileiro. Os mercados Forex e de criptomoedas – como Bitcoin, por exemplo, não são regulados por aqui – o que acaba dificultando a atuação dos órgãos regulatórios e a administração de penalidades, providências e sanções em caso de danos aos investidores, especialmente por empresas que buscam aplicar algum golpe.

Opte, portanto, por investir em empresas devidamente regulamentadas, com trajetória sólida no mercado e bom histórico junto ao mercado e aos seus clientes. Somente desta forma você conseguirá proteger os seus investimentos e impulsionar seu capital de maneira lícita e muito mais segura.

Quer saber como aumentar seu patrimônio de maneira segura sem cair em golpes?Então clique aqui e descubra como ganhar um prêmio da Mega Sena investindo no seu conhecimento.

Comentários