Previdência Privada

Planejar a aposentadoria é essencial para garantir uma boa qualidade de vida na terceira idade. Mas, contar apenas com a Previdência Social pode ser arriscado. Afinal, o dinheiro pode não ser suficiente para garantir o que é importante para o seu futuro.

Para evitar dificuldades nesse período da vida, uma das melhores alternativas é fazer investimentos ao longo dos anos. E uma das opções mais interessantes para o longo prazo é a Previdência Privada.

Muita gente, no entanto, ainda tem dúvidas sobre se vale ou não a pena investir em Previdência Privada. Se este for o seu caso, continue conosco para entender mais sobre essa modalidade e descubra se ela faz sentido para você!

O que é Previdência Privada?

A Previdência Privada é uma modalidade de investimento que tem como objetivo garantir o usufruto, no futuro, do valor investido ao longo dos anos. Ela pode ser utilizada de forma complementar a aposentadoria ou até uma alternativa para aqueles que não contribuíram para o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

Além disso, a Previdência Privada pode ser bastante interessante no âmbito da sucessão patrimonial. Isso porque, em geral, ela não entra em inventário – e pode ser acessada pelos herdeiros com facilidade.

No entanto, é importante notar que existem casos de processos judiciais em que foi decidido que a Previdência entraria no inventário. Não podemos generalizar esse benefício, pois ele depende de questões legais mais profundas.

Como funciona a Previdência Privada?

A Previdência Privada tem duas fases. A primeira é a de acumulação e a segunda, a de usufruto. Assim, você aplica ao longo dos anos para aproveitá-la depois de um determinado tempo.

Esse investimento é de longo prazo e os aportes devem ser consistentes para que o objetivo final seja alcançado.

O usufruto pode ocorrer por meio do resgate do valor total acumulado, com seus rendimentos, ou por meio do recebimento de uma renda mensal.

Em alguns aspectos, a Previdência Privada se assemelha aos fundos de investimentos tradicionais. Ou seja, há gestores que cuidam da carteira de ativos e existe uma estratégia por trás de cada plano de Previdência – que pode ser mais conservador, moderado ou arrojado.

Quais são os tipos de Previdência Privada?

Existem dois tipos diferentes de planos de Previdência Privada: VGBL e PGBL. Conheça-os a seguir!

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

A Previdência VGBL costuma ser indicada para aqueles que optam pela declaração simplificada do Imposto de Renda.

Nessa alternativa, não há dedução fiscal no período de aplicação. No entanto, o imposto incide apenas sobre o ganho de capital no momento do resgate ou da transformação do valor acumulado em renda.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

Diferente do anterior, a Previdência PGBL pode ser mais interessante para aqueles que declaram o Imposto de Renda no seu modelo completo.

Isso porque esse plano permite o abatimento da base de cálculo do imposto em até 12% da renda bruta anual tributável. Assim, você economiza no imposto e pode utilizar o dinheiro, por exemplo, para fazer novos investimentos.

Quais as diferença e semelhanças entre VGBL e PGBL?

Ambos funcionam de maneira semelhante. Ou seja, possuem as fases de acumulação, devem ter aportes frequentes e contemplam a fase de usufruto. Basicamente, o que muda é a maneira como é cobrado o Imposto de Renda.

No caso do VGBL, o IR índice apenas sobre os rendimentos (juros). No PGBL, ele incide sobre o montante total no momento do regate.

Essa diferença não faz um ser melhor do o que outro. Cada um tem suas vantagens e desvantagens. Cabe ao investidor avaliá-los e definir qual das opções pode ser mais benéfica para si.

Quais as vantagens da Previdência Privada?

Agora que você já sabe o que é e como funciona a Previdência Privada, é importante conhecer as principais vantagens dessa modalidade. Acompanhe!

Personalização

O investidor pode escolher o plano que melhor atenda às suas necessidades, seja em relação à cobrança de IR, regime tributário, estratégia de gestão e prazo de resgate. Ou seja, trata-se de uma modalidade bastante personalizável.

Alternativa para renda passiva

Um plano de Previdência pode ser interessante para complementar a aposentadoria e gerar uma renda passiva no futuro – permitindo que você mantenha um padrão de vida equilibrado na velhice.

Portabilidade

Se você não está satisfeito com a instituição que lhe ofereceu o seu plano atual ou com os resultados obtidos, é possível migrá-lo para outra instituição. O processo é simples, permitido por Lei e bastante interessante para o investidor.

Além disso, também é possível manter o plano com a mesma instituição, mas migrar seus recursos aplicados para um fundo diferente. Desta forma, é possível buscar um nível de rendimento superior ao que você vem obtendo. Para isso, é importante analisar como cada opção de fundo aplica os recursos e seu desempenho histórico.

Afinal, a partir da portabilidade, não é preciso permanecer em um determinado plano que, atualmente, não atenda mais às suas necessidades. Respeitando as regras do processo, é possível fazer a migração com tranquilidade.

Gestão profissional

Existe um profissional capacitado por trás dos investimentos da sua Previdência. Esse gestor fará a alocação do seu capital e acompanhará o rendimento. Ou seja, todo o trabalho é feito por ele – trazendo maior segurança e facilidade ao investidor.

Sucessão patrimonial

Como você já sabe, o processo de sucessão patrimonial é muito mais simples com a Previdência Privada. Isso porque, em geral, ela não entra em inventários e o investimento pode ser destinado aos herdeiros com facilidade.

Além disso, de acordo com a legislação brasileira, é possível destinar até 50% do patrimônio de um indivíduo para pessoas que não sejam herdeiros obrigatórios. Por isso, ainda que seja decidido que a Previdência vai entrar no inventário, ela ainda pode “engordar” a parte do patrimônio que pode ser destinada livremente.

Por conta disso, quem visa o planejamento sucessório pode se interessar por essa alternativa.

Benefício fiscal

Além de todas as vantagens apresentadas até aqui, a Previdência Privada ainda conta com um benefício fiscal. Ao contrário de outras opções de investimento, o famoso “come-cotas” não incide sobre seus rendimentos.

O come-cotas é o Imposto de Renda calculado e recolhido semestralmente sobre os rendimentos de um investimento no período. Ele é recolhido no último dia útil de maio e de novembro.

O come-cotas incide, por exemplo, sobre os rendimentos de fundos de renda fixa de condomínio aberto, uma opção comum de investimento entre os brasileiros. Porém, essa tributação não vai ser um problema se você aplicar em Previdência Privada.

Quais as desvantagens de uma Previdência Privada?

Por outro lado, existem algumas desvantagens dessa modalidade que precisam ser consideradas. A primeira está relacionada às taxas.

Alguns planos de Previdência têm taxas mais altas – e podem consumir parte da rentabilidade do investidor. Outro ponto considerado negativo é a baixa liquidez.

Por isso, vale a pena avaliar os custos antes de contratar um plano e verificar se a Previdência Complementar está alinhada aos seus objetivos – especialmente de longo prazo.

O que avaliar antes de investir em Previdência Privada?

Antes de fazer sua escolha também vale a pena considerar o regime de tributação e a estratégia de gestão.

Existem dois regimes tributários: o progressivo ou o regressivo. No progressivo, a alíquota varia de 15% a 27,5%, dependendo do seu nível de renda. No regime regressivo, essa porcentagem varia de 35% a 10%, dependendo do tempo em que o dinheiro fica aplicado. Nesse caso, quanto maior o tempo, menor será a alíquota cobrada.

Você também pode escolher seu plano de acordo com a estratégia de gestão. É possível encontrar planos mais conservadores, moderados ou arrojados. O ideal é escolher aquele mais alinhado com o perfil de investidor.

Afinal, Previdência Privada vale a pena?

Agora que você já sabe o que é e como funciona essa modalidade, já consegue avaliar se a Previdência Privada vale a pena para você?

Em geral, os planos podem fazer sentido para quem deseja montar uma aposentadoria. E para aqueles que buscam alternativas que facilitem a sucessão patrimonial.

A decisão de investir ou não, no entanto, cabe somente a você. Para saber se essa realmente é uma boa alternativa para a sua carteira, avalie seu perfil e objetivos pessoais.

Gostou do artigo? Então que tal se aprofundar mais no assunto? Confira agora nosso e-book gratuito: Os segredos da Previdência Privada para uma aposentadoria tranquila!

 

Disclaimer

Este conteúdo tem caráter meramente informativo. Nenhuma informação contida nele constitui recomendação de investimento ou aconselhamento jurídico sobre patrimônio.